Buscar
  • Everton Lopes

#03 MORAR NO EXTERIOR - PARADOS NO TEMPO, COMO DETONAR SEU PSICOLÓGICO


Quando pensamos em morar fora o que vem na cabeça é viver o sonho de começar de novo em um país distante, que por algum motivo escolhemos. Quem sabe a esperança de estudar na faculdade dos sonhos, ou a expectativa de uma vida mais segura para família, ainda a estabilidade financeira ou quem sabe o desejo de conhecer novas culturas e ter novas experiências, enfim algo nos impulsiona a tomarmos a decisão de viver no exterior.



Seja qual for o motivo, existem alguns padrões de comportamento que com certeza dificultarão muito as coisas, certas atitudes que na verdade irão detonar sua cabeça, seu mundo interior e sua vida no exterior ficará cada vez mais complicada, até chegar ao drástico momento de parar, desistir, jogar a toalha, recolher os cacos e simplesmente voltar.


Neste artigo quero compartilhar com você as atitudes que irão detonar sua cabeça quando se decide morar no exterior. E, se você tiver um pouco de bom senso, analisará tudo com calma e fará o contrário, isso além de te preservar de fracassos eminentes proporcionará a oportunidade de se construir um caminho de sucesso no exterior.


Pense nisso

Não crie expectativas erradas, seja realista, entenda as etapas necessárias para cara área da sua vida que necessitará de adaptação.

SEGUIR DO MESMO PONTO


No Brasil você estudou, se formou, trabalhou, talvez tenha formado família, constituiu amigos, desenvolveu relacionamentos e até formou uma carreira bem-sucedida, nem que seja durante um curto prazo, mas você venceu. Esta sensação de sucesso, de que estava indo tudo bem foi substituída pelo desejo de morar no exterior, e por um lapso de momento você imaginou, nossa me dei bem no Brasil, mas mesmo assim seria melhor se eu fosse para outro país pois lá com todo meu potencial, expertise e habilidades eu conseguiria uma qualidade de vida muito superior, conheceria novas culturas e até ajudaria meus familiares.


Bem, esse é um pensamento maravilho, já pensou? Wow, fantástico!


Se não fosse apenas um detalhe simples. O outro país.


Isso mesmo, o país que você deseja construí o restante a vida e transferir todas as suas conquistas e habilidades, ele não é o Brasil, ele não quer saber quem você é ou no que você é bom. Para ser mais claro, ele nem está interessado que você vá viver lá, no máximo ele se interessa pelo seu dinheiro durante a visita de turismo durante as férias, mas morar? Não, definitivamente não.


Eu não quero que você desanime lendo este artigo, mas meu objetivo é apenas que você entenda o mundo real, mas também quero deixar claro que o fato de outros países não ansiarem pela sua presença como cidadão local, não significa que são preconceituosos, racistas, ou qualquer outro adjetivo pejorativo que pense em usar.


Eles apenas vivem numa cultura diferente, com objetivos e estilos de vida diferentes e a última coisa que qualquer povo estabelecido quer é alguém que chegue para piorar ou mudar o que já estão acostumados a viver. (faço uma pausa pra te explicar que estou me referindo a países que primeiro mundo ou no máximo emergentes, os quais servem de porto seguro para muitos imigrantes, não me refiro a países pobres que precisam da presença estrangeira pra sobreviverem).


Voltando ao foco do artigo, não queira continuar seu sucesso no Brasil assim que chegar no exterior, não pense que tudo que você conquistou ou formou durante anos será, de cara, bem aceito e já adaptável ao novo país. Suas formações acadêmicas podem até serem aceitas, mas vai demorar um pouco e o processo é cansativo, as amizades serão outras, isso se você estiver disposto construir uma rede nova de relacionamentos, suas forças e expertise que no Brasil era usada para avançar e multiplicar seu sucesso, no exterior, pelo menos durante um tempo, serão usadas para se manter ativo, esperançoso e no máximo ser um bom aprendiz.


Não crie expectativas erradas, seja realista, entenda as etapas necessárias para cara área da sua vida que necessitará de adaptação.


Isso não é nada pessoal contra você, mas cada país e cada região dentro de um mesmo país tem sua forma de viver a vida, tem sua maneira de criar sistemas que regulamentam e organizavam a sociedade local. Repito, não entre em depressão por isso, não é nada pessoal, mas faz parte do sistema local, todos estrangeiros de alguma forma ou em algum momento passam por isso.

DICA

Faça uma análise sobre quem você é, tenha seus valores e sua identidade bem definida, porte-se como um verdadeiro aprendiz durante o tempo inicial (primeiro ano principalmente).


Faça uma lista das áreas da sua vida que você precisará adaptar neste novo país. Classifique por ordem de prioridade e seja paciente. Assim, você poderá viver intensamente cada etapa, curta cada momento, leve de maneira leve.


Esteja disposto a começar de novo, mesmo tendo vasta experiência nesta área, chegará o momento que a oportunidade aparecerá e você poderá sobressair e crescer.


Por Everton Lopes


| Termos de uso .

| Política de privacidade .

| Considerações importantes

| Copyright

Receba toda semana nossas informações, avisos de lives e conteúdos gratuitos.